Terça-feira, 3 de Junho de 2008

Conto:Matar ou morrer por amor!

Africa


 

Escolher entre quem é capaz de matar e quem é capaz de morrer por amor

 

Aquele menino nasceu num dia de sol e calmaria, era o menino mais bonito que alguma vez tinha nascido, mais bonito que as flores que nasciam na Savana depois das primeiras chuvas, mais bonito que qualquer por do sol, mais bonito que uma noite estrelada. Era tal a sua beleza que  todos os chefes de todas as aldeias à volta o vieram conhecer.

O menino foi crescendo e com ele a sua educação e a sua valentia, além do mais belo de todos os meninos, era o mais inteligente, o mais valente e o mais atrevido.  E o povo da sua aldeia estava contente porque entre eles vivia a mais incrível das perfeições
.

Perto da casa do menino nasceram um dia duas meninas, e se a beleza dele era muita, a delas era ofuscante, se uma era a beleza do nascer do sol, a outra era a beleza do pôr do sol, se uma era linda e cristalina como a agua de um riacho, a outra era a beleza suave das aguas
calmas de um lago, não havia uma mais bonita que a outra, porque ambas tinham a beleza de cada flor, a perfeição do canto de cada pássaro e o brilho da luz de cada estrela.

E as meninas cresceram, cada uma na sua beleza, e à medida que iam crescendo iam adquirindo qualidades que faziam delas mulheres perfeitas e desejadas por todos.

Como em tudo na vida, a beleza atrai beleza e um dia as duas meninas já mulheres, conheceram o menino já homem, e ficaram ambas terrivelmente apaixonadas por ele. Se uma o amava muito a outra amava-o mais, se uma sonhava com ele de noite, a outra sonhava com ele de dia, se uma o desejava, a outra desejava a sua presença.

E ele?, ele estava num terrível dilema, tinha que escolher uma das duas, e tinha que decidir entre uma beleza tão grande como a beleza do nascer do sol e outra tão grande como a beleza do pôr do sol, entre a pureza cristalina da agua que corre no regato e a calma serena da superfície de um lago, entre a beleza de todas as flores e a perfeição do canto de todas as aves. E ele não se conseguia decidir, tinha que escolher uma das duas, mas não era capaz, como escolher entre a perfeição e a perfeição?.. não conseguia, mas  tinha que escolher, porque elas estavam à espera.

O tempo passava e ele não se conseguia decidir, e elas sonhavam e suspiravam, e imploravam.. mas ele não conseguia decidir. Até que um dia, estava sentado a pensar no seu dilema, quando de repente apareceu uma cobra e mordeu-o. Ao ouvir o seu grito de dor, toda a aldeia correu, e entre eles as duas meninas. Quando chegaram ele estava agonizante, e se uma se agarrou a ele a gritar e a dizer que ia morrer com ele, que estava disposta a morrer por amor, se ele morresse ela morria também. A outra decidiu ir atrás da cobra e vingar a sua dor, ela ia matar por amor.

Saiu da aldeia e embrenhou-se na savana, e durante dias seguiu o rasto, até que encontrou a cobra, e quando já lhe ia cortar a cabeça, esta disse:

-Não me mates.
-Mato, tu mataste o homem que eu amava, agora vais morrer
-Não, não me mates, se não me matares, eu prometo que faço com que tudo volte para trás e o teu amor não morre

E ambas voltaram à aldeia. Quando chegaram efectivamente o menino estava bem, estava sentado ao lado da outra mulher. E ambas perguntaram:

 

-Então, qual das duas escolhes?

-Não sei, como é que se pode escolher entre quem é capaz de  morrer  e quem é capaz de matar por amor?

 

 

 

Conto da tradição oral africana que ouvi contar de uma forma magistral...e decidi partilhar

 

Publicado inicialmente no blog: O que é o jantar

 

Jorge

PS:Imagem retirada da internet.

publicado por Jorge Soares às 10:11
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Therina a 11 de Junho de 2008 às 21:59
wow wow wow brutal ! xD

gostei mesmo muito :)


De minucha a 23 de Junho de 2008 às 17:49
Eu tinha que vir espreitar quem pensa como eu...

Os homens são mais indecisos, penso, que nós mulheres...


De Sónia Pessoa a 20 de Julho de 2008 às 22:14
Hoje pergutaram-me se eu eras tu... como sou sónia pessoa, pessoinha, gera-se a confusão, por isso resolvi vir espreitar o teu cantinho. aparece lá pelo meu.

abraço


De Pedro Tortuga a 4 de Agosto de 2008 às 03:56
O final superlativa o conto. Estamos entao numa de irmãos Grimm - da oralidade para a escrita! :)


De umbreveolhar a 25 de Agosto de 2008 às 15:17
Tendo muita consideração pelos meus amigos/as que constam na minha lista, agora renovada, desejo que as férias tenham sido óptimas, e no caso de ainda não terem terminado, uma boa continuação e que tudo decorra pelo melhor. Os amigos que têm a gentileza de responder aos meus comentários, como é o caso e que também comentam o meu humilde blog, merecem bem a minha amizade. Voltarei brevemente, pois ainda não me encontro em Braga e depois ver e comentar com mais atenção o teu blog que admiro.
Cumprimentos.
CAB


De grande pene a 15 de Julho de 2010 às 10:09
Este texto bonito. escrever é uma terapia natural que nos ajuda não só para lançar luz sobre os problemas, mas também para superar


De vivere in spagna a 19 de Outubro de 2010 às 16:01
Este texto bonito. escrever é uma terapia natural que nos ajuda não só para lançar luz sobre os problemas, mas também para superar


De redonda a 22 de Novembro de 2010 às 23:14
Gostei da história.


De come allungare il pene a 10 de Dezembro de 2010 às 13:17
Olá, desculpa o meu Português não escrever bem perhcè estou estudando! o que um bom blog, eu adoro maquiagem y moda!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30



.posts recentes

. A Morena

. Conto:Matar ou morrer por...

. O perfume daquela rosa

. Foi há um ano...

. Chuva .... O Amor

. Chora, meu menino, chora....

. Viagem

. A carta que nunca escrevi

. ...

. Alma minha

. Sonhei ....

. Saudades de mim

. A carta

. O quebra cabeças de arame...

. Ilusões

.arquivos

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds